Notícias

26/02/2021

Presidente do CRCRJ participa de evento de apresentação de ranking de competitividade dos municípios

Produzido pelo Centro de Liderança Pública (CLP) em parceria com o SEBRAE, o Ranking de Competitividade dos Municípios foi lançado em 2020 e apresentado, com foco no estado do Rio de Janeiro, em evento articulado pelo vereador Pedro Duarte, na manhã desta sexta-feira (26/02), no auditório da Fecomércio, que contou com a presença do Presidente do CRCRJ, Samir Nehme.

O estudo analisa a capacidade competitiva dos 405 municípios brasileiros com mais de 80 mil habitantes, com base em três dimensões, 12 pilares e 55 indicadores, fornecendo uma visão sistêmica da gestão pública municipal.

A avaliação considera fatores internos – funcionamento da máquina pública e acesso e qualidade da saúde –, estruturais – telecomunicações, segurança pública, saneamento e meio ambiente e acesso à qualidade da educação – e sistêmicos – capital humano, inovação e dinamismo econômico, inserção econômica e sustentabilidade fiscal. Entre os municípios fluminenses, Niterói ocupa a melhor posição no ranking (29º), seguido pelo Rio de Janeiro (71º).

Em sua fala, o Presidente Samir destacou a urgente necessidade de simplificação tributária e redução das obrigações acessórias e pontuou o papel da Ciência Contábil no fortalecimento da administração pública e na melhoria do ambiente de negócios. Ele, ainda, complementou:

“Quando há dado, planejamento e análise, há resultado. E a Contabilidade é fundamental nesse sentido. Em termos de CRCRJ, nós temos colocado nosso time de professores, altamente capacitados, à disposição dos municípios, para aprimoramento do conhecimento técnico do corpo funcional das prefeituras, para que, cada vez mais, essas informações analisadas pelo ranking tenham mais qualidade”, declarou.

 

Desafios do Rio de Janeiro

O município do Rio de Janeiro tem muitos desafios pela frente: ele ficou na 200ª colocação no pilar de “Sustentabilidade Fiscal” e na posição 238ª no pilar de “Qualidade da saúde”. Os piores indicadores são: mortes por causas indeterminadas (347º), despesa com pessoal (360º) e endividamento (380º).

“A cidade do Rio apresenta elevado endividamento e gasto com pessoal e baixa taxa de investimento, com esta em 3,22% de sua receita corrente líquida”, informou Tadeu Barros, Diretor do CLP. A cidade ainda está abaixo da posição 220 em 18 indicadores, entre eles: crescimento do PIB Per Capita, Taxa de Investimento, Tempo para abertura de Empresas, Crescimento dos Empregos Formais e Custo da Função Legislativa.

Entre as autoridades presentes no evento, o Presidente da Fecomércio-RJ, Antonio Florencio de Queiroz Jr., o Gerente de Políticas Públicas do SEBRAE RJ, Tito Ryff, o Diretor do CLP, Tadeu Barros, o Presidente da Câmara de Vereadores do Rio, vereador Carlo Caiado, o Secretário Municipal de Turismo do Rio, Cristiano Beraldo, e representantes das secretarias municipais de Fazenda e Desenvolvimento Econômico.